DATA E HORA

CIDADE DE CABO FRIO - ESTADO DO RIO DE JANEIRO -

QUEM SOU EU

Minha foto
OBJETIVO DESTE BLOG É ENSINO DA PALAVRA DE DEUS E DIVULGADOR DAS SANTAS ESCRITURAS. OBJETIVO TAMBÉM É DIVULGAR E PROMOVER A EBD, TRAZENDO IDEIAS E NOTÍCIAS DESTA TÃO IMPORTANTE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA. QUE DEUS NOS ABENÇOE.

propaganda

propaganda

Viersiculos

27/11/16

Lição 10 – A PRIMEIRA VIAGEM DE PAULO “Sabedoria para enviar obreiros e resolver os conflitos”




Introdução

       Em sua primeira viagem para divulgar o Evangelho, Paulo e Barnabé saíram de Antioquia, onde os seguidores de Jesus foram chamados pela primeira vez de “cristãos”, dirigindo-se primeiro a Chipre, onde Barnabé nasceu e foi criado, e depois à Ásia Menor (a Turquia moderna). Foi um período marcado por confrontos, perseguições, milagres extraordinários, muitas conversões e uma intensa ação do Espírito Santo na vida dos servos de Deus e através deles. Analisando os fatos narrados por Lucas, percebemos o Espírito Santo guiando a Igreja em suas decisões.
 A Igreja de hoje também desfruta da presença do Espírito Santo. A primeira viagem missionária de Paulo nos reserva algumas lições que, uma vez observadas, poderá nos levar a decisões sábias e a uma boa colheita de almas para Cristo.

1. QUANTO AO ENVIO DE OBREIROS (13.1-12)
___________
1 Glenn Wagner. A igreja que você sempre quis. São Paulo: Editora Vida, 2004, p.152.

O padrão estabelecido no primeiro século não pode ser esquecido. A escolha e envio de obreiros é algo que deve ser levado muito a sério. Mesmo encontrando na Bíblia alguns perfis com as exigências éticas, morais e espirituais para quem deseja trabalhar na obra de Deus, percebemos que ainda pagamos um alto preço por conta das precipitações e demais equívocos na escolha e envio de obreiros para a obra missionária, para o exercício do ministério na Igreja local e também para as áreas administrativas dos órgãos denominacionais. Muitas vezes o conselho de Paulo “Não imponhas as mãos precipitadamente sobre alguém” (1Tm 5.22) tem sido  ignorado. Escolhemos e enviamos sem dedicar um tempo significativo de oração e espera pelo aval do Senhor. O que podemos aprender com os fatos ocorridos em Antioquia?

Quem disse que Barnabé e Saulo deveriam ser separados e enviados?
___________________________________________________ (V.2)
Qual foi o procedimento adotado pela Igreja antes do envio? 
___________________________________________________ (V.3).
Quem enviou os obreiros para anunciar a Palavra de Deus?
__________________________________________________________________(V.4).
 Como podemos ver, o Espírito Santo foi determinante no chamado de Barnabé e Saulo, no processo antes do envio, no envio e no campo capacitando os servos de Deus para a obra. A Igreja de Antioquia se preocupou em discernir qual era a vontade do Senhor.
 Barnabé e Saulo eram homens vocacionados, aprovados por Deus e dispostos a servir a Deus e as pessoas (Cl 1.24; At 20.24). A obra de Deus precisa de vocacionados. A palavra vocação é originária do latim evocare, que quer dizer chamar. Então Deus nos chama e nos capacita para uma obra especial que irá produzir em nós um senso de propósito que somente o exercício da vocação poderá produzir. Vocacionados perdem o sono por aquilo que Deus colocou em seus corações. A vocação não violenta o vocacionado! Qualquer pessoa que vive reclamando por estar fazendo algo “para Deus” deve reavaliar a sua vocação. “Aborrece-me que os seguidores de Cristo exijam tanto incentivo e adulação para fazer a obra de Deus no mundo.”2
A obra de Deus precisa de gente que anda de mãos dadas com Ele. Observe que no primeiro século, para homens “simples e sem erudição” como Pedro e João, assim como para os mais bem “qualificados” como Paulo, a referência maior dos que agiam em nome de Deus eram suas próprias experiências com Jesus (At 4.13; 1Co15.3-8). Precisamos de uma liderança bem qualificada intelectualmente, mas que acima de tudo ande de mãos dadas com Jesus. 
 Em 1887, Charles Spurgeon e seu amigo Robert Shindler se empenharam em denunciar os perigos que rondavam a Igreja que estava se afastando da sã doutrina. Com artigos intitulados “O Declínio”, eles procuraram alertar seus irmãos em Cristo. Alguns haviam “tomado o caminho da sabedoria humana: ‘Deram mais ouvidos aos conhecimentos clássicos e outros campos do saber... Foi, portanto, um passo fácil na direção errada, prestaram atenção redobrada aos conhecimentos acadêmicos dos seus ministros e pouca atenção às qualificações espirituais; colocaram mais valor na escolaridade e na oratória do que no zelo evangélico e na capacidade de manejar bem a Palavra da verdade’”.3 Em que direção estamos seguindo? Como será que Deus nos avalia? Compare às falas de Jesus às Igrejas de Filadélfia e Laudicéia (Ap 3.7-22).
Como devemos reabastecer nossa vida com Deus e como podemos estar melhor nas demais áreas de nossa vida? Bill Hybells, Pastor da Willow Creek Community Church, USA, nos auxilia com o seu testemunho: “Quando sinto o amor de Deus, quando o Espírito Santo borbulha no meu espírito, quando tenho longas conversas com ele durante o dia, ouvindo seus sussurros, tentando estar na sua presença, receptivo à sua pessoa, quando de fato mantenho um relacionamento conectado com Deus, essa é a dinâmica que mais reabastece a minha vida.”4

2 Hybells, Bill. Simplifique. São Paulo: Editora Vida, 2014, p.225.

2. QUANTO À RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS (15.1-35)

Leia o texto e faça o exercício abaixo. Veja como os irmãos conseguiram resolver um problema grave que ameaçava a unidade da Igreja e o avanço da obra de Deus.

1. Qual o problema que estava ameaçando a unidade da Igreja? (V.1 e 5). __________________________________________
2. Qual a reação da liderança (Paulo e Barnabé)? (V.2a). _________________________________________

3. Qual foi o caminho encontrado? (V.2b). ________________________________________
  
4. Que providências Paulo e Barnabé tomaram ao passar pela Fenícia e por Samaria e também em Jerusalém? (V.3-4). _________________________________________

5. Em Jerusalém, o que eles fizeram? (V.6). _______________________________________

6. Qual foi a atitude de Pedro, Barnabé e Paulo? (V.7-12). ________________________________________

7. O que Tiago fez ao pedir a Palavra? (V.13-21). ________________________________________

8. Qual foi o parecer final:
1°)______________________________ (V.22)
 
2°)____________________________ (V.23-29).

 9. Qual foi o resultado? (V.31-32) _______________________________________

10. O que mais os líderes fizeram? (V.33-35). _______________________________________

Assim como os nossos irmãos no primeiro século, também enfrentaremos os chamados tempos difíceis. Como vimos no exemplo entre os cristãos judeus e os cristãos gentios, pessoas preparadas, sábias e cheias do Espírito Santo estarão aptas para a resolução dos conflitos na Igreja. Tudo o que o inimigo quer é ver o “circo pegar fogo” para que a unidade da Igreja seja ameaçada e sua capacidade de ação comprometida.
 
3 John F. MasArtur Jr. Com Vergonha do Evangelho. São Paulo: Editora Fiel, 1997, p.228,229. 4 Hybells, Bill. Simplifique. São Paulo: Editora Vida, 2014, p.26

 PARA PENSAR E AGIR

Devemos nos consagrar ao Senhor tanto para ir quanto para servir na Igreja local. “Não podemos fazer a obra de Deus sem a direção do Espírito Santo. Ele nos foi enviado a fim de estar para sempre conosco. Ele nos guia a toda verdade. Precisamos do Espírito Santo. Dependemos do Espírito Santo. A Igreja não pode conseguir uma única conversão sem a obra do Espírito Santo. Os pregadores não terão virtude e poder para pregar sem a ação do Espírito Santo.”5
Precisamos de homens e mulheres que saibam relatar o que Deus está fazendo. Precisamos consultar as Escrituras acerca dos fatos. Nossos problemas devem ser resolvidos na dependência do Senhor. Foi assim que o difícil problema acerca da circuncisão foi resolvido. Sejamos os portadores da alegria e do ânimo necessário para que a obra de Deus avance (15.31). Vamos exortar, pregar e ensinar a Palavra do Senhor. Perseveremos na fé.

PERGUNTAS PARA DISCUSSÃO EM CLASSE
1. O que Atos 13 nos ensina acerca da escolha e envio de obreiros? O que precisamos consertar?

2. O que a atitude de Tiago (15.13-21) tem a nos ensinar?
 
3. Quais os tipos de conflito que podem ameaçar a Igreja hoje? Cite alguns e diga como devemos tratá-los.
                                    Uma excelente Aula.

Fonte:Revista Palavra e vida da Convenção Batista Fluminense. 

17/09/16

CONGRESSO MULTIPLIQUE REGIONAL


Revista Palavra e Vida 4 Trimestre - FATOS PARA HOJE- O livro de Atos dos Apóstolos





FATOS PARA HOJE

   O livro de Atos dos Apóstolos também chamado por muitos de “Atos da Igreja de Jesus Cristo”, contém inúmeras histórias que inspiram o leitor devotado e atento a ser um instrumento nas mãos de Deus. Estudar Atos é uma oportunidade de analisar a essência da Igreja de Cristo e o cuidado de Deus em guiar, proteger e orientar o seu povo. É um livro que revela o nosso “DNA”, nos instrui quanto às características que nos diferem e nos aponta o caminho seguro para simplesmente sermos uma Igreja. Também é um livro que nos motiva ao enchimento do Espírito Santo. Neste quarto trimestre de 2016 vamos investigar algumas histórias em busca dos princípios que nos permitirão cumprir as ordens do nosso Mestre Jesus.

      O médico Lucas escreveu Atos, provavelmente na segunda metade do primeiro século. Seus 28 capítulos são relatos que comprovam que a história de Jesus não terminou com Jesus. Os cristãos deram continuidade, participando ativamente da ação de Deus para alcançar os pecadores. Veremos que pessoas como nós, formaram a chamada “Igreja Primitiva”. Irmãos que aceitaram o desafio e, cheios do Espírito Santo, testemunharam acerca dos mistérios de Deus. Os resultados se estenderam até os nossos dias e deverão continuar por toda a eternidade. Daí a importância de avaliarmos os princípios (algumas disciplinas que são predominantes na Igreja de Jesus Cristo e que carecem da nossa atenção) que fizeram a diferença no primeiro século e com a devida contextualização, evidenciá- los hoje.

      A Igreja somos nós! Nossa expectativa é que após o estudo dedicado de cada lição, o aluno assuma o compromisso de agir de acordo com os princípios que fizeram da Igreja de Jesus Cristo uma comunidade separada, cheia do poder de Deus e com uma mensagem capaz de revolucionar o mundo. Vamos juntos em busca dos fatos que nos ajudarão a saber o que aconteceu com a Igreja. É tempo de retornarmos aos princípios bíblicos que levaram nossos irmãos no passado a serem chamados de cristãos (At 11.26). 
                                                Bom trimestre! 

Revista Palavra e Vida 4 Trimestre - FATOS PARA HOJE- O livro de Atos dos Apóstolos








FATOS PARA HOJE

   O livro de Atos dos Apóstolos também chamado por muitos de “Atos da Igreja de Jesus Cristo”, contém inúmeras histórias que inspiram o leitor devotado e atento a ser um instrumento nas mãos de Deus. Estudar Atos é uma oportunidade de analisar a essência da Igreja de Cristo e o cuidado de Deus em guiar, proteger e orientar o seu povo. É um livro que revela o nosso “DNA”, nos instrui quanto às características que nos diferem e nos aponta o caminho seguro para simplesmente sermos uma Igreja. Também é um livro que nos motiva ao enchimento do Espírito Santo. Neste quarto trimestre de 2016 vamos investigar algumas histórias em busca dos princípios que nos permitirão cumprir as ordens do nosso Mestre Jesus.

      O médico Lucas escreveu Atos, provavelmente na segunda metade do primeiro século. Seus 28 capítulos são relatos que comprovam que a história de Jesus não terminou com Jesus. Os cristãos deram continuidade, participando ativamente da ação de Deus para alcançar os pecadores. Veremos que pessoas como nós, formaram a chamada “Igreja Primitiva”. Irmãos que aceitaram o desafio e, cheios do Espírito Santo, testemunharam acerca dos mistérios de Deus. Os resultados se estenderam até os nossos dias e deverão continuar por toda a eternidade. Daí a importância de avaliarmos os princípios (algumas disciplinas que são predominantes na Igreja de Jesus Cristo e que carecem da nossa atenção) que fizeram a diferença no primeiro século e com a devida contextualização, evidenciá- los hoje.

      A Igreja somos nós! Nossa expectativa é que após o estudo dedicado de cada lição, o aluno assuma o compromisso de agir de acordo com os princípios que fizeram da Igreja de Jesus Cristo uma comunidade separada, cheia do poder de Deus e com uma mensagem capaz de revolucionar o mundo. Vamos juntos em busca dos fatos que nos ajudarão a saber o que aconteceu com a Igreja. É tempo de retornarmos aos princípios bíblicos que levaram nossos irmãos no passado a serem chamados de cristãos (At 11.26). 
                                                Bom trimestre!