flash

DATA E HORA

CIDADE DE CABO FRIO - ESTADO DO RIO DE JANEIRO -

QUEM SOU EU

Minha foto
OBJETIVO DESTE BLOG É ENSINO DA PALAVRA DE DEUS E DIVULGADOR DAS SANTAS ESCRITURAS. OBJETIVO TAMBÉM É DIVULGAR E PROMOVER A EBD, TRAZENDO IDEIAS E NOTÍCIAS DESTA TÃO IMPORTANTE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA. QUE DEUS NOS ABENÇOE.

Viersiculos

22/03/15

LIÇÃO 13- UMA BATALHA INTENSA E SEM TRÉGUA

































Lição 13 – Uma batalha intensa e sem trégua

Texto Bíblico: Efésios 6.12-13

No mesmo instante em que recebemos a Jesus como Senhor e Salvador de nossa vida, assumimos uma posição contrária ao império das trevas. Ainda que não se queira admitir, estamos em uma guerra ferrenha, sem tréguas e de vida ou morte. Tentar negar essa verdade é não se preparar devidamente para a realidade. Jesus disse que o diabo está totalmente inclinado a matar, roubar e destruir (Jo 10.10), e ele não vai hesitar em cumprir aquilo que está em sua essência. Ele é homicida (João 8.44), carrega consigo a sentença de morte, vive da morte, porque transpira aquilo que lhe é próprio. Devemos então nos conscientizar de que a guerra é real e assim desejarmos nos lançar na busca dAquele que pode nos capacitar para derrotarmos o nosso inimigo.

Jesus nos afirmou que o Reino de Deus está dentro de nós (Lc 17.21). E, nesse Reino, toda a capacitação vem do Senhor (2Co 3.5)  Se a nossa comunhão com Ele é verdadeira, isso toca o seu coração e traz sobre nós poder e autoridade, que também pode ser traduzida como revestimento. Isso quer dizer que não estamos vestidos de uma roupagem cristã ou uma aparência religiosa, mas que no Reino Espiritual somos reconhecidos tanto pelo Senhor, como pelos anjos e também pelos demônios. Temos uma marca, um selo, uma chancela que nos é outorgada pelo Deus Altíssimo, de que somos seus filhos e por isso recebemos dEle a armadura de Filhos do Rei. É nessa condição que deixamos de ser meras pessoas para sermos aliados do Senhor, fazemos parte do seu exército e de nossa própria vontade estamos pelejando as causas do nosso Pai.
Estarmos cônscios da guerra e da necessidade de capacitação para ela, faz-nos buscar ao Senhor para que sejamos cobertos pela Armadura de Deus.

1.       O homem espiritual está diariamente sujeito às inteligentes ciladas do Diabo

O Apóstolo Paulo nos diz em sua carta aos Coríntios, que o homem espiritual discerne bem todas as coisas (1Co 2.15), isso quer dizer que, para todas as circunstâncias da vida o filho de Deus tem, no Espírito Santo, uma fonte inesgotável de sabedoria e direção que o habilita a tomar decisões acertadas e a se desvencilhar de todas as artimanhas que Satanás possa articular. O filho de Deus, à mercê do Espírito Santo, tem visão ampla das situações, pois ele não anda por aquilo que determina sua intuição, nem tampouco o seu coração, mas por aquilo que o Espírito aviva em seu coração mediante a Palavra de Deus, posicionando-o tanto na defesa quanto no ataque. Ante a astúcia de Satanás, temos a sabedoria de Deus (1Co 2.6). Jesus Cristo venceu o inimigo sob a ação da Palavra. Nós venceremos o inimigo sob o mesmo princípio: revestidos da armadura do Espírito Santo, vivendo e proferindo a Palavra da verdade.

2.       O homem espiritual precisa de preparação constante

À medida que caminhamos com Cristo aprendemos lições muito importantes, e a maior delas é que não somos capazes de coisa alguma (2Co 3.5). O Reino de Deus é movimentado por poder (1Co 4.20) e esse poder só está contido em uma fonte: o próprio Deus. Não há lugar nesse Reino para pessoas exaltadas, ou qualquer que se autonomeie capaz de prosperar ou direcionar as ações que carecem ser executadas para se alavancar os propósitos santos do Senhor. O Reino é de Deus, o poder é dEle, as escolhas também são dEle e os capacitados por Ele são os que executam a sua vontade.
Temos também de analisar a dinâmica antagônica dos princípios divinos e a dinâmica do mundo. Enquanto esta versa que quanto maior, melhor e quanto menor, pior; no Reino de Deus quanto menor, melhor (Jo 3.30; , e quanto maior, pior (Tg 4.6). Assim, temos diante de nós uma fundamentação bem sólida de que devemos nos humilhar diante da sua grandeza, reconhecer que nada somos e nada podemos fazer, e que Ele, sim, é tudo em todos (1Co 12.6; 15.28).

3.       O homem espiritual também é um soldado

Esta é uma realidade que não podemos ignorar. Há um inimigo que investirá contra nós, os autênticos filhos de Deus e contra todos os seus. Somente há uma maneira de resistirmos e prevalecermos: utilizando-se da força e do poder que o Senhor coloca ao nosso dispor, através de Jesus Cristo. O aposto nos conclama que nos fortaleçamos no Senhor e no seu forte poder (Ef 6.10). Em 2Coríntios 11.3, Paulo também nos ensina que Satanás investe contra nós exatamente da mesma maneira como investiu contra Eva, na intenção de controlar nossas mentes.

4.       O homem espiritual não pode subestimar e nem superestimar o inimigo

São dois os erros que precisamos evitar: o primeiro, de desprezar o inimigo e fazer de conta que ele não existe. Agindo assim, logo descobriremos o tamanho do equívoco. O outro erro é o de superestimá-lo, dando-lhe um status que não possui. Ainda que a Bíblia nos ensine a vigiar contra suas investidas, temos a garantia de que maior é o Senhor que está conosco (1Jo 4.4) e que as armas que Deus nos disponibiliza são suficientes para destruir todas as fortalezas do Maligno (2 Co 10.4).

5.       O homem espiritual precisa vestir a armadura e treinar para a batalha sem igual, usando as armas que Deus mesmo já disponibilizou
Precisamos, sim, tomar posse não de nossas armaduras, mas daquela que Deus colocou à nossa disposição! Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo (Ef 6.11). O apóstolo garante que devidamente armados, seremos capazes de “resistir no dia mau e permanecer inabaláveis” (Ef 6.13). Haverá dias quando os ataques serão mais concentrados e visarão nos derrubar. A armadura é garantia de resistência.

6.   Vamos rever os principais componentes da armadura de Deus?

6.1. O cinto da verdade: A mentira sempre oferece brechas para Satanás, chamado por Jesus de “pai da mentira” (Jo 8.44). Em contrapartida, Jesus declarou: Eu Sou a Verdade (Jo 14.6). O Espírito Santo é o Espírito da verdade, e nos guia por ela (Jo 16.13).

6.2. A couraça da justiça: Deus é perfeitamente justo, e da nossa parte devemos ter fome e sede de Sua justiça (Mt 5.6). Isso significa estar debaixo da aprovação de Deus. A obediência é garantia de uma cobertura, uma couraça sobre nossas vidas.

6.3. O calçado para os pés: Seus pés têm que ter a formosura peculiar de quem se deixa conduzir pelo Senhor a anunciar suas Boas Novas. Isaías 52.7 é um texto chave para você entender acerca desta “beleza” que há nos pés de um ganhador de almas. Há um par de sandálias sobrenaturais para os pés daqueles que se preparam e anunciam o Evangelho. São os mesmos calçados que o farão correr com a velocidade da corça e saltar muralhas.

6.4. O escudo da fé: Efésios 6.16 explica que o escudo é para nos defender de dardos inflamados, que são flechas com fogo do inferno. Esse escudo serve para nos conservar fiéis – os dardos tentarão minar nossa fidelidade e nos fazer desistir da fé. De diversas formas esses dardos serão arremessados, principalmente por meio de palavras vindas de outras pessoas. Todo soldado deveria manter seu escudo ungido! O Espírito Santo em sua vida proverá o óleo para seu escudo.

6.5. O capacete da salvação: Trata-se da sua identidade – a certeza que você precisa ter de quem é diante de Deus. Você precisa lembrar-se de que recebeu uma nova identidade através de Jesus Cristo, como Filho de Deus. Essa identidade lhe dará acesso às regiões celestiais e à fonte de poder e autoridade, em Jesus Cristo.

6.6. A espada do Espírito: Trata-se da Palavra de Deus, as Escrituras. Foi com ela que Jesus venceu Satanás nas tentações após Seu batismo (Mt 4.1-10). É preciso conhecer, aprender, praticar e saber manejar a Palavra.

6.7. O reforço da oração: Efésios 6.18 faz uma alusão toda especial à oração. O Espírito Santo nos ensina e conduz na oração. Tão importante é a oração que diversas vezes o Senhor Jesus se dirigiu aos Seus discípulos para ensinar-lhes como orar e para falar da necessidade de orar sempre.

Tomemos posse agora da armadura da ARMADURA DE DEUS. Tenhamos a consciência de que somos soldados e que o Senhor dos Exércitos é nossa garantia de vitória, porque Ele mesmo construiu, reforçou e disponibilizou uma inigualável e resistente armadura. Entretanto, essa ARMADURA torna-se mais eficiente quando há o reforço da oração. Portanto, peçamos ao Senhor, o fortalecimento e a proteção para essa luta sem igual e sem tréguas.

PARA PENSAR E AGIR
1.     Qual o conceito mais apropriado para “dominadores deste mundo tenebroso?”
2.     Descreva os elementos da Armadura de Deus, classificando-os em defesa e ataque.
3.     O homem espiritual também é um soldado em guerra. Justifique.

FONTE: REVISTA PALAVRA E VIDA- CONVENÇÃO BATISTA FLUMINENSE

08/03/14

A IGREJA DE CRISTO


" Tu és Pedro, e sobre essa pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela"
                             MATEUS 16.18

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL A MAIOR DO MUNDO

" O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Portanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não seja sacerdote diante de mim"
                                              Oséias 4:6 
     Primeira Igreja Batista Em São Cristóvão
        São Cristóvão- Cabo Frio
        Rua Marques de Olinda,397

27/10/13

Reforma Protestante


Reforma Protestante
A Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão iniciado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 1 2 na porta da Igreja do Castelo de Wittenbergprotestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco solas.3
Lutero foi apoiado por vários religiosos e governantes europeusprovocando uma revolução religiosa, iniciada na Alemanha, estendendo-se pela SuíçaFrançaPaíses BaixosReino UnidoEscandinávia e algumas partes do Leste europeu, principalmente os Países Bálticos e a Hungria. A resposta da Igreja Católica Romana foi o movimento conhecido como Contra-Reforma ou Reforma Católica, iniciada no Concílio de Trento.
O resultado da Reforma Protestante foi a divisão da chamada Igreja do Ocidente entre os católicos romanos e osreformados ou protestantes, originando o Protestantismo.