flash

DATA E HORA

CIDADE DE CABO FRIO - ESTADO DO RIO DE JANEIRO -

QUEM SOU EU

Minha foto
OBJETIVO DESTE BLOG É ENSINO DA PALAVRA DE DEUS E DIVULGADOR DAS SANTAS ESCRITURAS. OBJETIVO TAMBÉM É DIVULGAR E PROMOVER A EBD, TRAZENDO IDEIAS E NOTÍCIAS DESTA TÃO IMPORTANTE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA. QUE DEUS NOS ABENÇOE.

Viersiculos

31/08/14

A MORDOMIA DA PROSPERIDADE




Lição 10– A mordomia da prosperidade

Texto Bíblico: Salmos 1.1-3

INTRODUÇÃO

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará” (Sl 1.1-3).
          A prosperidade é uma legítima aspiração, um ideal que todo crente deve desejar e buscar até mesmo, para o progresso do Reino de Deus. Mas a prosperidade total, dentro da visão de mordomia total, é alcançar o progresso material e, simultaneamente, o progresso espiritual, sempre em reconhecimento à Soberania de Deus. Ficar estagnado não é próprio do cristão. Alienação não é mordomia.
O estudo de hoje tem como finalidade fazer-nos, refletir sobre a seguinte questão: Por que muitos crentes não prosperam em sua vida profissional? Discutiremos esse assunto com o intuito de que crentes e, consequentemente as igrejas, prosperem para a glória do Reino de Deus.
          Alguns dos principais motivos de estagnação de homens e mulheres que se consideram bons cristãos, podem ser facilmente percebidos dentro da igreja.

VISÃO DISTORCIDA ACERCA DAS ESCRITURAS SAGRADAS
          Muitos crentes pensam que os bens materiais são coisas do maligno e que prosperar, adquirindo bens e dinheiro, é pecaminoso. Esse fato se deve ao desconhecimento da Bíblia e ao temor de imitar a maioria dos ímpios nos seus métodos para alcançar a prosperidade. Como existem ímpios que prosperam com armas de injustiça, e aplicam os frutos da sua prosperidade, geralmente, na prática do pecado, o crente fica receoso, pensando que é impossível prosperar sem deixar a impressão de estar contaminado, ou mesmo sem se contaminar com a perversidade e a injustiça.
Cabe à igreja ensinar aos crentes que a prosperidade não é pecado, desde que sejam obedecidos os princípios éticos da Bíblia. O cristão deve entender que prosperar no seu trabalho, nos seus negócios, na sua profissão liberal, no seu empreendimento econômico, social ou cultural é fazer parte da prosperidade do seu país e do progresso da humanidade. Além de tudo, a sua prosperidade serve aos desígnios do Reino de Deus.


FALTA DE UM PROJETO DE VIDA

          A maioria dos crentes está interessada em crescer espiritualmente, mas não demonstra interesse em crescer no aspecto material, com a mesma consciência de fidelidade. Isso mostra a inexistência de um projeto de vida que inclua o progresso equilibrado, tanto na vida material quanto na vida espiritual. Falta-lhes um propósito definido para as suas próprias vidas em relação ao Reino de Deus. A igreja precisa prosperar. Existem muitas almas ao seu redor para salvar, há muitos necessitados a atender, há muito que consolidar na obra da própria igreja, e, para tudo isso, há necessidade de dinheiro.
A igreja não pode contar com recursos externos para atingir os seus objetivos, se não for através da prosperidade dos seus membros individualmente. A igreja precisa ensinar os crentes a planejarem sua prosperidade para o futuro, visando supri-la de maiores recursos para o efetivo cumprimento dos seus objetivos. Uma pesquisa com os membros da igreja poderá revelar o entendimento dos mesmos sobre o assunto. A partir dos resultados, a liderança poderá programar projetos que visem despertar os crentes para a necessidade de planejar o seu crescimento em todas as dimensões da sua vida. O Cristão não pode ficar estagnado!

FALTA DE CONFIANÇA NAS PROMESSAS DO 
SENHOR

          Muitos crentes dizem crer em Deus, porém vivem como se Deus não existisse. Malaquias 3.10 não é levado em consideração, não põe a sua fé à prova. É grande o número de crentes que não aceitam o desafio de Deus expresso em Sua Palavra. Para muitos crentes, “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro..., e depois fazei prova de mim,...” é apenas para ser lido nos cultos – isso, quando leem.
          É dever da igreja ensinar aos crentes como transformar a fé em vida. A fé não é apenas um corpo de doutrinas para ser decorado, mas um sistema de vida para ser posto em prática. . Quando se trata de vida espiritual, tanto quanto nos assuntos de saúde, trabalho, família, moradia, a fé precisa mostrar a sua eficácia.
          Como a igreja pode agir? Primeiro, insistir em doutrinar os seus membros quanto ao valor das promessas divinas. Segundo, aproveitar todas as oportunidades que os desafios do próprio trabalho apresentam, para levar o povo a orar e a confiar em Deus. Além disso, recordar os feitos de Deus na igreja local desde o seu início. Recordar os feitos de Deus nas famílias da igreja. Mostrar como as famílias prosperaram na saúde, nos estudos, nos negócios, no trabalho, na moradia e na vida espiritual. Quantos profissionais formados! Quantos pastores e missionários espalhados pelos campos! Quantas respostas às orações!

FALTA DE SUFICIENTE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

Muitas pessoas são obrigadas a escolher uma profissão inadequada, quer por imposição das famílias, quer por solicitações imediatas do seu meio social. Uma profissão é inadequada, quando:
– Não corresponde às habilidades, à capacidade ou à vocação do indivíduo;
– Não é suficiente para prover os meios de subsistência do indivíduo e de sua família;
– Não oferece oportunidade para uma realização pessoal, em termos de ideal social ou de criatividade pessoal;
– Não combina com a consciência religiosa do indivíduo.
Como a igreja pode ajudar? Primeiro, a igreja pode ajudar os adolescentes e os jovens na escolha de uma profissão adequada, mediante testes vocacionais, orientação pastoral, estudo bíblico e oração; segundo, oferecendo auxílio e treinamento para que as pessoas que estiverem exercendo uma profissão inadequada possam mudar de ofício ou suplementar a receita familiar com outra ocupação; e, terceiro, oferecendo orientação para que cada profissional possa extrair da sua profissão o máximo rendimento possível.
Com esse fim, a igreja pode promover palestras ou cursos diversos sobre técnicas agrícolas, comercialização de produtos diversos, tais como roupas, cosméticos, doces e salgados e orientações sobre leis trabalhistas. Se os crentes prosperarem em sua vida profissional, sem a ajuda da igreja, será muito mais difícil para eles, entenderem que a sua prosperidade tem qualquer coisa a ver com a igreja, nos seus resultados. O fato é que os crentes que prosperam em sua vida profissional sem a ajuda da igreja, geralmente, esfriam na fé e acabam caindo em desânimo.
                                  
FALTA DE DISPOSIÇÃO PARA O TRABALHO 
       
          Por trás de toda a prosperidade real, sempre há trabalho. Alguns irmãos da igreja em Tessalônica parecem ter interpretado mal as palavras do apóstolo Paulo em sua primeira epístola. Tudo leva a crer que o pensamento deles era o seguinte: “Se Jesus vai voltar logo, por que trabalhar?” Então, começaram a andar de casa em casa, comendo e bebendo à custa dos outros irmãos.
Geralmente, as pessoas que não gostam de trabalhar, gostam de viver bem: conforto, boas comidas, aparência de luxo, o que as leva ao jogo de azar, à delinquência, frustração ou neurose. Para esses tais, Paulo diz: “Ordenamos e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo que, trabalhando sossegadamente, comam o seu próprio pão” (2Ts 3.12). Essas pessoas precisam ser ajudadas, e ninguém pode ajudá-las melhor do que as nossas igrejas, a descobrir uma nova motivação para o trabalho e para a vida, compreendendo que trabalho é uma arma que o cristão deve utilizar para testemunhar de sua fé, e não apenas como um meio de prover a sua subsistência.

CONCLUSÃO

          O mordomo cristão tem todas as condições para prosperar em sua profissão, no seu investimento, na sua empresa, porque: Em primeiro lugar, ele tem a fé nas promessas de Deus, que age em seu favor, abrindo a sua mente para aprender e progredir no seu ofício, movendo os acontecimentos para abrir portas de oportunidades diante dele, dando-lhe saúde e paz para trabalhar. Segundo, porque não tem vícios morais que contaminem sua saúde física, nem que lhe roubem a tranquilidade de consciência ou que signifiquem uma sociedade com o inferno, que sempre cobra a sua parte com altos juros. Em terceiro lugar, ele tem um motivo acima de si mesmo, acima de suas possíveis falhas, limitações e fracassos; ele tem um alvo a perseguir: a glória de Deus. Além dessas três razões, ele tem a ajuda de uma família bem estruturada sobre bases morais sólidas e confiáveis, onde a suspeita não lhe rouba o sono, os conflitos não perturbam a sua paz para trabalhar; e uma igreja que o ajuda com seu amor, com suas orações e com o seu companheirismo.

PARA REFLETIR:

Se um crente pode prosperar na vida material, sem prejuízo da sua consciência, nem da sua família, nem da sua fé, e não o faz, ele simplesmente está sendo infiel em sua mordomia.

FONTE: PALAVRA & VIDA CONVENÇÃO BATISTA FLUMINENSE
www.ebdescolabiblica.blogspot.com.br




08/03/14

A IGREJA DE CRISTO


" Tu és Pedro, e sobre essa pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela"
                             MATEUS 16.18

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL A MAIOR DO MUNDO

" O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Portanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não seja sacerdote diante de mim"
                                              Oséias 4:6 
     Primeira Igreja Batista Em São Cristóvão
        São Cristóvão- Cabo Frio
        Rua Marques de Olinda,397

27/10/13

Reforma Protestante


Reforma Protestante
A Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão iniciado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 1 2 na porta da Igreja do Castelo de Wittenbergprotestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco solas.3
Lutero foi apoiado por vários religiosos e governantes europeusprovocando uma revolução religiosa, iniciada na Alemanha, estendendo-se pela SuíçaFrançaPaíses BaixosReino UnidoEscandinávia e algumas partes do Leste europeu, principalmente os Países Bálticos e a Hungria. A resposta da Igreja Católica Romana foi o movimento conhecido como Contra-Reforma ou Reforma Católica, iniciada no Concílio de Trento.
O resultado da Reforma Protestante foi a divisão da chamada Igreja do Ocidente entre os católicos romanos e osreformados ou protestantes, originando o Protestantismo.