DATA E HORA

CIDADE DE CABO FRIO - ESTADO DO RIO DE JANEIRO -

QUEM SOU EU

Minha foto
OBJETIVO DESTE BLOG É ENSINO DA PALAVRA DE DEUS E DIVULGADOR DAS SANTAS ESCRITURAS. OBJETIVO TAMBÉM É DIVULGAR E PROMOVER A EBD, TRAZENDO IDEIAS E NOTÍCIAS DESTA TÃO IMPORTANTE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA. QUE DEUS NOS ABENÇOE.

propaganda

propaganda

Viersiculos

30/05/16

Lição 10 - Os desafios da família na sociedade atual (Parte 2)





Lição 10 - Os desafios da família na sociedade atual (Parte 2) 
Texto Bíblico: 1Pedro 5.8


Introdução

           Não podemos ignorar, muito menos esquecer, que a ação do diabo é sempre no sentido de destruir o que Deus criou, desorganizar o que Deus organizou e instalar o caos no que Deus pôs em funcionamento perfeito.
           A Bíblia apresenta o inimigo como um leão espreitando uma presa, para covardemente atacá-la e matá-la. Essa forma de agir de Satanás deve nos colocar em constante vigilância, a fim de não sermos surpreendidos por seu ataque. 
           Isso tem uma aplicação urgente no que diz respeito à família, pois, para que o caos se instale na sociedade causando desordem, é necessário primeiro desorganizar a família. A família como base da sociedade é alvo constante das investidas do inimigo. É preciso vigiar para não cair em armadilhas malignas. (1Co 16.13). 
           Esses perigosos sentimentos são os culpados por muitos danos causados às famílias, pois o inimigo, percebendo a vulnerabilidade de uma família diante deles, ataca impiedosamente levando os lares a terríveis derrotas. Adultérios, divórcios, agressões verbais e físicas, filhos abandonando pais, pais rejeitando os filhos e tantas outras coisas lamentáveis. 
A Bíblia alerta que o inimigo anda pelos “cantos escuros”, escondido e pronto para dar o bote em quem puder tragar. É no comportamento da família que o inimigo procura as brechas para atacar. É imprescindível que a família esteja atenta aos inúmeros desafios deste tempo e os enfrente com lucidez e fé em Deus.

Para tanto, é preciso saber que:  
- Casamentos precisam ser tratados com respeito e carinho
      Ter atenção com o casamento é uma forma de vigilância. Os casais precisam ser sóbrios em seus relacionamentos, pois tudo começa com o casamento, principalmente a família. No início da vida, Deus instituiu o casamento (Gn 1.27-28).
     Todo assunto relacionado à família começa com o casamento. Casamento sólido e prazeroso geralmente produz uma família harmoniosa. Porém, quando os cônjuges não vigiam em relação ao seu matrimônio, geralmente a família paga um alto preço.              Investir na relação conjugal é um excelente ponto de partida para fortalecer cada vez mais a família, evitando que a mesma fique vulnerável aos ataques do inimigo. 
- Pais e filhos precisam honrar seus papéis domésticos

         Outra área muito propensa a ataques do inimigo é a relação entre pais e filhos, portanto precisa de muita atenção. No início, quando os filhos são pequenos, esse relacionamento não chega a ser complicado, mas na medida em que os filhos vão crescendo e adquirindo independência, o que se observa são filhos pressionados e pais decepcionados.
           Pais e filhos precisam atentar para o fato de que se não tratarem dos conflitos, que é até natural que surjam, estes podem evoluir para uma situação insuportável e os efeitos são perigosamente imprevisíveis.
            É importante lembrar que a Bíblia traz de forma bem clara e objetiva orientações, tanto para pais, quanto para os filhos. Se tais orientações forem postas em prática, o diabo não encontrará oportunidade para atacar a família nessa área.

O que fazer?

            A primeira coisa a fazer é uma avaliação calma e fria de como estão os relacionamentos em família.
            Marido e mulher devem analisar o padrão do casamento. É prazeroso? Tem cumplicidade? Ações de amor estão presentes no dia a dia do casal?
            A Bíblia ensina a equacionar a complexa questão marido e mulher. Ela diz que a mulher deve respeitar seu marido: “Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor” (Ef 5.22). A Bíblia ensina a mulher a respeitar e obedecer a seu marido. Infelizmente, o movimento feminista, mesmo que discretamente, tem afetado essa área da família tão importante para o bem da mesma. Mulheres que procuram, a despeito de qualquer interferência externa, colocar em prática os ensinamentos bíblicos como esposa, são mulheres bem resolvidas e que não temem serem vistas como inferiorizadas na relação, pois na verdade não são. Ao contrário, são mulheres que descobriram a bênção de ser mulher e amam isto. 
            A Bíblia também diz que o homem tem que amar muito a sua esposa: “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). Na sequência, a Bíblia se dirige ao homem e lhe dá uma dificílima tarefa, que é amar sua mulher como Cristo amou a Igreja. Ou seja, o marido deve amar sua mulher, e o parâmetro desse amor é o amor de Cristo pela igreja. É muito difícil, mas é assim que Deus diz que tem que ser. Homens que, não obstante aos desafios para esta prática, amam suas mulheres incondicionalmente e as tratam com o cuidado e o zelo que este amor exige, são homens satisfeitos, saudáveis, emocional e espiritualmente falando, além de serem excelentes exemplos para seus filhos. 
             Se num relacionamento conjugal, onde tudo só depende dos dois, houver atenção e obediência ao que ensina a Palavra de Deus sobre os papéis conjugais, então esta família firmou um vigoroso pilar de proteção contra os ataques do diabo.
              A Bíblia também contempla o relacionamento pais e filhos. Deus, que criou a família, não deixa de orientá-la para que vá bem (Ef 6.1-3). O texto bíblico destaca que é justo os filhos honrarem os pais, além de fazer uma promessa aos que assim fizerem: vida longa. Para se proteger contra os botes de Satanás, os filhos devem honrar e obedecer a seus pais. Honrar é reconhecer a importância e o mérito dos pais, destacá-los como pessoas dignas de respeito e tratá-los com o carinho e cuidado que precisam. Os filhos não devem fazer isso apenas quando estiverem satisfeitos com as ações de seus pais, mas devem fazer isso por serem seus pais (Ef 6.4). De igual modo, os pais que quiserem fechar os espaços para Satanás em seu relacionamento com os filhos, devem educá-los com compreensão e carinho, evitando, o quanto possível, provocar irritação neles. Há grandes perdas e até tragédias acontecendo com muitas famílias pela negligência diante destas orientações bíblicas. 
             Os irmãos também devem se unir e não ficarem alimentando conflitos entre si. Vale lembrar que Jesus falou que uma casa dividia não subsiste: “...e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá” (Mt 12.25c). Desta maneira, cabe aos irmãos também contribuir para a blindagem da família contra os ataques de Satanás.
            Toda família deve desenvolver o hábito da vigilância, a fim de se proteger. Eis algumas dicas próprias para este tempo:
         Não deixem que a busca pelo sucesso profissional ofusque a busca pelo sucesso nas relações familiares; 
         Evite o consumo pelo consumo. Esta é uma área que tem atrapalhado muito as famílias. Comprem o que puderem pagar e, mesmo assim, quando for necessário; 
         Saber usar a televisão e a internet é necessário e seguro. Nada deve substituir aquele “bate papo” despretensioso entre membros da família; 
            Não esgote todo o seu tempo. Reserve algum para fazer reflexões pessoais com leitura da Palavra de Deus. Essas simples ações são de suma importância para proteger a família dos ataques de Satanás. Mesmo que, num primeiro momento, não pareça, mas são ações que ajudam a dar segurança à família. Lembre-se do alerta bíblico: “Sede sóbrio, vigiai”!

Para pensar e agir: 

            A família é uma instituição organizada e organizadora, é porto seguro, lugar de refúgio e de cuidados mútuos. É na família que as pessoas se preparam para a vida, é nela também que recebem carinhos verdadeiros e amor não fingido. Família é ambiente saudável para que homem e mulher desempenhem seus papéis no casamento, é onde também têm a alegria e a segurança para criar e educar seus filhos. É na família que as crianças crescem assistidas e os jovens encontram apoio para iniciar a vida na sociedade. A família também é a maior testemunha do Senhor Jesus, é nela que a presença do Senhor se revela de forma mais perceptível, levando-a à condição de missionária na terra. 
               É por essas, e tantas outras razões, que o inimigo ajusta sua mira exatamente contra a família. Ele sabe da potência que é uma família bem ajustada. 
              Cientes dessa realidade, as famílias precisam se blindar contra os ataques do destruidor. O lar é um lugar inviolável, ou seja, ninguém pode interferir no funcionamento de uma família, se não for com a permissão da mesma. Desta maneira, basta que a própria família esteja de acordo com o padrão que deseja ter e trabalhar para alcançá-lo, e ninguém poderá impedir. 
               Sobre todas as coisas, a família não deve permitir que pecados sejam acolhidos em seu meio. Lutar contra o pecado é tirar a chance do “ladrão” roubar a paz da família (Jo 10.10a). 
              Deus é tão maravilhoso que além de nos presentear com a família, Ele também coloca à nossa disposição o “manual” para o bom funcionamento dela. Satanás não tem chances contra uma família que vigia, porque Deus garante sua proteção
               Louvado seja Deus pela família!
 Bons estudos.

Fonte: Revista Palavra e Vida da Convenção Batista Fluminense
  

07/03/16

8 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER



Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor em muito ultrapassa os das mais finas jóias!


Provérbios 31.10























História do 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações.

Objetivo da Data 

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.